11
Sep
2018
Cinthia

“Escapei da morte por um triz”

Cynthia Guerra passou por algo que muitos considerariam uma “experiência de quase morte”, que poderia ter destruído ela e sua família.

“Um dia, enquanto eu buscava minha filha mais nova na creche, tive uma experiência horrível que nos deixou aterrorizadas mas, ao mesmo tempo, me deu a certeza de que fomos protegidas por Deus.

Eu normalmente faço três rotas diferentes para a escola, pois tenho quatro filhos em três escolas diferentes. Fui buscar minha filha mais nova e, enquanto a colocava no banco do carro, ouvi uma batida forte atrás de mim. Para o meu horror, virei-me e vi pedaços de vidro e partes do carro voarem por toda parte.

Foi então que percebi que um grande caminhão passou por mim e destruiu a porta do meu carro. Ele tinha passado perto o suficiente para me derrubar. Fiquei em estado de choque. Uma amiga que estava sentada no banco do passageiro disse que pensou que eu havia sido atingida pelo caminhão. Mas, felizmente, eu ainda estava de pé.

Todas as partes quebradas do carro, incluindo peças de metal e vidro, caíram do lado de fora. Se tivessem caído do lado de dentro, isso colocaria a minha filha em grave perigo. O caminhão não atingiu nenhuma de nós.

Como eu tinha que esperar a polícia chegar, não conseguiria buscar meus outros filhos na hora certa, e os funcionários das escolas só poderiam ficar com eles por pouco mais que uma hora. Meu esposo trabalha no centro da cidade e também não conseguiria chegar às escolas a tempo. No entanto, eu realmente acredito que Deus é grande e que Ele estava me dando mais do que uma mão amiga o tempo todo.

Outras mães da creche e das escolas me ajudaram. Elas buscaram meus filhos e cuidaram deles enquanto eu terminava toda a papelada com a polícia e as seguradoras. O caminhão parou, esperou pela polícia e me deu todos os detalhes necessários. Uns meses atrás, outra mãe da mesma creche teve problemas com uma van no mesmo local, mas a van não parou e não há câmeras de vigilância naquela área. Eu creio que, no meu caso, Deus tocou o coração do motorista do caminhão.

O carro teve que ser recolhido por uma empresa de recuperação e deixado em uma garagem, já que estava avariado. Não havia ônibus que nos levassem direto para casa e a distância a pé era longa demais para ser feita com a minha filha, principalmente porque eu não tinha um carrinho de bebê. No entanto, a mãe de outra criança ficou esperando o tempo todo e nos levou para casa. No dia seguinte, um carro de cortesia foi deixado conosco.

Depois de tudo o que aprendi sobre a fé e sobre Deus na Universal, eu realmente acredito que Ele estava nos protegendo. Acredito que Sua direção e graça estiveram sobre nós o tempo todo. Ao participar das reuniões na Universal e seguir as orientações, aprendi a usar minha fé de uma maneira inteligente.”

 Cynthia Guerra

Leave a Reply