27
Nov
2020

“E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.” (Gênesis 22:1)

Há uma palavra poderosa em hebraico que resume a frase “Eis-me aqui”. A palavra é Hineni e expressa uma preparação total para se entregar – ou seja, é uma oferta de total disponibilidade que significa, em outras palavras, “Que seja feita a Sua vontade.” Isso é algo encontrado em poucas pessoas hoje em dia, mas Deus encontrou essa disposição e preparação em Abraão.

Abraão não sabia o que Deus queria, mas estava disponível. Ele colocou suas vontades e desejos de lado para fazer o que Deus queria. Mal sabia do teste pelo qual estava prestes a passar.

“E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que Eu te direi.” (Gênesis 22:2)

É por isso que Deus fala, com palavras diretas, para olharmos para Abraão (ver Isaías 51:2). Seu desejo de AGRADAR a Deus superava seu desejo de ter um filho. Ele colocou o ABENÇOADOR acima da benção.

Realmente, muitos estão dispostos a sacrificar, mas poucos estão dispostos a sacrificar o que Deus quer que eles sacrifiquem. Muitos até dizem “Eis-me aqui”, mas não perguntam a Deus o que Ele quer. Ao invés disso, perguntam o que Deus pode lhes dar.

A verdade é que quando dizemos “Eis-me aqui”, temos que estar prontos para qualquer coisa. Isso mesmo! Temos que estar prontos para irmos a qualquer lugar que Deus nos mandar e para fazermos a Sua vontade, mesmo que isso contrarie a nossa própria vontade. O problema é que, com o tempo, muitos perdem aquele desejo de agradar a Deus de todo coração. Eles deixam os desejos da carne – em outras palavras, seu ego, orgulho, jeito de ser, etc. – atrapalharem o plano de Deus para suas vidas. Permitem até que pensamentos de iniquidade impeçam que a vontade de Deus seja feita dentro deles e através deles.

Quando mergulhamos profundamente na história de Abraão, vemos que ele nunca questionou a Deus. Ele enxergava Deus em tudo. Mesmo quando Deus pediu que ele sacrificasse Isaque, ele simplesmente obedeceu, embora não tenha recebido nenhuma promessa em troca. Se realmente queremos ver a grandeza de Deus em nossas vidas, como Abraão viu, devemos estar dispostos a abrir mão do nosso próprio “Isaque”. Isso significa que devemos estar prontos para perdoar, quebrar nosso orgulho, abandonar nossos pecados, abrir mão de coisas às quais somos apegados. Devemos estar prontos para dizer “sim” para Deus, independentemente da circunstância.

Pense nisso… Como podemos receber o grandíssimo galardão, que é o Espírito Santo, sem primeiro darmos a nossa vida e entregarmos TUDO a Ele? Como Deus pode trabalhar dentro de nós e nos dar Suas bênçãos se insistirmos em fazer as coisas da nossa própria maneira? É impossível! Muitas vezes as pessoas deixam seus desejos limitarem seu “Eis-me aqui”, e como consequência, suas vidas costumam ficar estagnadas.

Com isso em mente, devemos nos perguntar se estamos dizendo “Eis-me aqui” de todo coração, ou contra a nossa vontade. Quando Deus vê no altar o que Ele viu no Monte Moriá, Ele não tem escolha a não ser Se manifestar grandiosamente em nossas vidas. Lembre-se, dizemos “Hineni” a Deus não apenas com palavras, mas confiando nEle, obedecendo Sua voz e fazendo a Sua vontade. Essa era a fé de Abraão. Será que Deus encontrará tamanha fé em você?

Leave a Reply