6
Nov
2020

“Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que Ele está próximo, às portas.” (Mateus 24:32-33)

Estamos em um ensaio para o fim dos tempos. Apesar de não sabermos o momento exato em que nosso Senhor Jesus voltará, os sinais são claros, e esse período turbulento irá apenas piorar. Tudo que está acontecendo ao nosso redor hoje é uma preparação para o que está por vir. A situação atual do COVID-19 é uma amostra de como o fim dos tempos pode parecer. São tempos de medo, ansiedade e incerteza.

Infelizmente, como nos tempos de Noé, muitos serão pegos de surpresa e levados pelo dilúvio.

“Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca…” (Mateus 24:38)

Hoje em dia, as pessoas se casam e se divorciam facilmente. O nível de promiscuidade desta geração supera o nível de Sodoma e Gomorra e muitos estão se deixando levar pelos prazeres deste mundo. Eles estão prestando pouca – ou nenhuma – atenção ao fato de que este mundo está chegando ao fim. Quando se fala sobre o arrebatamento, as pessoas acham loucura. O mundo pode tentar negar que o arrebatamento acontecerá, mas o que não pode ser negado é que o que Jesus disse está acontecendo e Sua Palavra se cumprirá. (Ver Mateus 24:35).

Por isso, não podemos ficar de fora da Arca, nem podemos nos deixar cair na armadilha da descrença, pois tudo o que está acontecendo está preparando o caminho para que o anticristo se levante (ver Apocalipse 13:16). O anticristo virá com um discurso de paz e tomará controle total do mundo – incluindo a implementação da marca da besta. Por isso, o diabo já está criando estas situações: para que as pessoas aprendam a se adaptar e aceitar os sinais como o “novo normal.”

Para aqueles que querem estar com Jesus, agora – mais do que nunca – precisamos ficar alertas, ou seremos enganados. Não podemos permitir que circunstâncias como o lockdown destruam nossa fé. Pelo contrário, devemos focar em nos aproximarmos ainda mais de Deus durante esta pandemia. Quando sabemos a verdade mas não a praticamos, o diabo acaba encontrando uma forma de nos destruir.

Mesmo aqueles que estão próximos a nós não serão salvos se não escolherem crer. Nossas orações podem ajudá-los a escapar dos desastres, mas a salvação é algo individual. Não podemos comprometer a nossa salvação. Nada pode interferir em nosso relacionamento com Jesus.

Temos que ser como as cinco virgens prudentes, que não dividiram seu óleo (ver Mateus 25:1-3). Da mesma forma, não podemos dividir a nossa salvação. Não há como! Devemos permanecer prontos e focados.

“Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.” (Mateus 24:44)

Devemos agir agora mesmo, cortando da nossa vida tudo que esteja interferindo em nosso relacionamento com Deus. Devemos ficar alertas a todo momento. Até mesmo antes de nos deitarmos, devemos checar nossa “temperatura espiritual” e analisar quem somos. Para isso, precisamos estar prontos para cortar os laços que mantemos com nosso “velho eu”, pedir perdão, abandonar a malícia, as amizades negativas, os hábitos pecaminosos, as mágoas, etc.

Por esse motivo, Jesus nos ensina que devemos abrir mão de qualquer coisa que nos leve a pecar (ver Mateus 5:29). Se não formos radicais, acabaremos caindo e perdendo a nossa salvação. Ou seja, seremos como as virgens tolas que foram deixadas para trás.

Esse ensaio pelo qual estamos passando neste momento, logo se tornará a realidade. Se não abrirmos nossos olhos e prestarmos atenção aos sinais, cairemos nas mãos do diabo e, consequentemente, pagaremos o alto preço de sermos deixados para trás, e isso não é o que o nosso Senhor Jesus quer para nenhum de nós. A questão é: quem terá ouvidos para ouvir?

Leave a Reply